CRONICAS DE GUERRA II - SAIGAO A BAGDADE - JOSÉ RODRIGUES DOS SANTOS (1016)

De Saigão a Bagdad, das montanhas geladas de Cabul às ruas ensanguentadas de Kigali, das selvas húmidas de Khe Sanh às areias quentes de Dahran, dos destroços fumegantes de Grozny às avenidas desertas de Sarajevo, o segundo volume desta obra relata as atribuladas aventuras dos repórteres portugueses nos grandes campos de batalha do nosso tempo. Artur Albarran ao lado das forças multinacionais na ofensiva para reconquistar o Kuwait, Barata-Feyo apanhado numa emboscada com os Mudjahedin no Afeganistão, Carlos Fino debaixo de fogo cerrado dos russos na Tchetchénia. A história do Século XX, testemunhada e narrada por jornalistas portugueses e reproduzida em épicas e inesquecíveis Crónicas de Guerra.

Depois do êxito do primeiro volume, José Rodrigues dos Santos regressa com Crónicas de Guerra - De Saigão a Bagdad, para narrar as emocionantes aventuras dos correspondentes de guerra portugueses nas selvas do Vietname, nos desertos do Médio Oriente, nas montanhas do Afeganistão, na região do Golfo Pérsico, nas cidades da Bósnia, nos destroços da Tchetchénia, no genocídio do Ruanda. Uma aventura narrada por José Rodrigues dos Santos, num estilo vivo, rigoroso e empolgante.

José Rodrigues dos Santos nasceu em 1964, na Beira, Moçambique, e viveu os primeiros dez anos em zona de guerra. Iniciou a sua carreira jornalística em 1980, na Rádio Macau. Trabalhou na BBC, em Londres, entre 1987 e 1990, e seguiu para a RTP, onde começou a apresentar o "24 Horas". Em 1991 passou para a apresentação do "Telejornal", e tornou-se colaborador permanente da CNN desde 1993. Doutorado em Ciências da Comunicação, é docente da Universidade Nova de Lisboa e jornalista da RTP. Entre os diversos prémios profissionais e académicos com que foi distinguido, destacam-se o Prémio Ensaio do Clube Português de Imprensa (1986), o Prémio de Mérito Académico do American Club of Lisbon (1987), o Grande Prémio de Jornalismo do Clube Português de Imprensa (1994), e três prémios da CNN, designadamente o Best News Breaking Story of the Year (1994), o Best News Story of the Year for the Sunday (1997) e o Contributor Achievement Award (2000). Como repórter, José Rodrigues dos Santos cobriu diversos países em guerra ou conflito civil, designadamente Timor-Leste, Angola, África do Sul, Kuwait, Iraque, Bósnia e Jugoslávia.

Autor:

José António Afonso Rodrigues dos Santos é um jornalista e escritor português nascido na antiga colónia portuguesa de Moçambique. Atualmente, apresenta o Telejornal
Doutorado em Ciências da Comunicação, com uma tese sobre reportagem de guerra, é professor da Universidade Nova de Lisboa e jornalista da RTP, ocupando por duas vezes o cargo de Director de Informação da televisão pública portuguesa. É um dos mais premiados jornalistas portugueses, tendo sido galardoado, além dos prémios já referidos, com o Grande Prémio de Jornalismo, em 1994, atribuído pelo Clube Português de Imprensa. Internacionalmente, venceu três prémios da CNN: o Best News Breaking Story of the Year, em 1994, pela história "Huambo Battle" relacionada com a Guerra de Angola; o Best News Story of the Year for the Sunday, em 1998, pela reportagem "Albania Bunkers"; e o Contributor Achievement Award, em 2000, pelo conjunto do seu trabalho, aquele que é considerado o Pullitzer do jornalismo televisivo.
Além da sua mais conhecida faceta como jornalista, José Rodrigues dos Santos é também um ensaísta e romancista. Especialmente nesta última vertente, tornou-se dos escritores portugueses contemporâneos a alcançar maior número de edições com livros que venderam mais de cem mil exemplares cada. Até ao final de 2012 publicou quatro ensaios e dez romances. O romance de estreia, intitulado A Ilha das Trevas foi reeditado pela Gradiva, em 2007, actual editora do autor.

Tags:
×
×
×

dsgag

×
×
×
×