A REVOLUÇÃO DA MULHER DAS PEVIDES - ISABEL RICARDO (1767)

Perante os canhões e as balas dos exércitos franceses, Ana Luzindra só tinha uma arma: a sua beleza. Mas a beleza também pode ser mortal. A Revolução da Mulher das Pevides transporta-nos para os anos de terror das invasões francesas. A morte e a crueldade marchavam lado a lado com os exércitos veteranos de Napoleão. E enquanto a Família Real fugia para o Brasil, o povo ficava para suportar todo o tipo de humilhações. Na vila da Nazaré, Ana Luzindra é parteira de profissão e uma mulher simples. 

Para fazer frente aos canhões e balas dos franceses só tem uma arma: a sua estonteante beleza. Atraindo-os, um a um, para a morte na calada da noite, a jovem inspira toda uma comunidade e pegar em pedras e paus para expulsar os invasores. A Revolução da Mulher das Pevides, expressão da Nazaré que significa "algo insignificante", foi tudo menos isso: pelo sobressalto que pregou aos franceses, e pela posterior vingança desproporcionada que estes praticaram sobre a Nazaré, acabou por ser um dos momentos mais importantes da invasão, e inspiraria o longo e árduo caminho dos portugueses e aliados até à derradeira vitória sobre as tropas do temível Napoleão. Recorrendo a uma pesquisa exaustiva, Isabel Ricardo oferece-nos um bilhete para um dos períodos mais importantes da História de Portugal.
 
Autor
 
Isabel Ricardo escreveu o primeiro livro aos 11 anos e conta já com diversas obras publicadas, desde romances históricos até literatura infantojuvenil. É autora, entre outros títulos, das coleções Os Aventureiros e Guerreiros da Luz e do livro O Fantasma das Cuecas Rotas. Nos seus livros infantis tenta transmitir sempre valores importantes.O Coelhinho Avarento é o seu mais recente livro para crianças, editado pela Porto Editora. É presença assídua nas escolas, onde realiza sessões de incentivo à leitura, promovidas por escolas e bibliotecas.
Tags:
×
×
×

dsgag

×
×
×
×